11 setembro, 2018

Resenha do Livro - O Sofrimento de uma vida sem sentido



Sobrevivente de Theresienstadt, Auschwitz, Kaufering e Türkheim, Viktor Frankl tem propriedade para falar sobre dor. Além de escritor, Viktor foi professor de neurologia e psiquiatria na Universidade de Viena.

Nesta obra, com uma linguagem profunda e muitas vezes rebuscada, ele fala sobre caminhos que o indivíduo pode trilhar para encontrar razão em seu viver. Primeiro há um retrospecto sobre as teorias de Freud, Adler e Jung. Essa parte do livro foi difícil para entender, porque há termos bem específicos da psicologia e psiquiatria. Logo após essa contextualização, Viktor foca na Logoterapia, abordagem que desenvolveu cujo objetivo principal é o sentido da existência.

"O homem é, em virtude de sua autotranscedência, um ser em busca de sentido. No fundo, é dominado por uma vontade de sentido."

Apesar de alguns capítulos exigirem muita atenção ou deixar o leigo confuso, não é uma leitura restrita ao público da área em questão. Há lições práticas e reflexões para o indivíduo comum encontrar sentido na própria existência.

A ideia base de Viktor Frankl é que sempre existe um sentido a ser realizado na vida. "Com efeito a existência humana aponta sempre para além de si mesma, aponta sempre para um sentido." A frustração existencial, o sentido do sofrimento, a logoterapia e a religião são alguns dos assuntos destrinchados e exemplificados.

Se você quer saber mais sobre a Logoterapia, assista essa entrevista com o psicólogo Itamar  Padrão: https://youtu.be/LyChAF-ykFg


Título: O sofrimento de uma vida sem sentido
Autor: Viktor E. Frankl
Páginas: 125
Editora: É Realizações Editora

Compartilhe:

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

 

Siga-nos no Instagram