13 setembro, 2018

Resenha do Livro - Qué Linda es la Vida!



Como eu amei essa leitura! O primeiro livro lido em outra língua a gente nunca esquece. Comprei esse livro numa viagem que fiz a Santiago, e como não sou nada ansiosa já vim lendo no avião.

Esta leitura é aquele tipo de leitura leve, que te faz repensar sobre como você tem desfrutado a vida. Há muitas histórias ilustrativas e algumas também reais. Eu amo aprender com exemplos, alegorias ou parábolas. Penso que é uma das formas mais eficazes de se aprender uma lição.

A beleza da vida, segundo o autor está na aceitação própria. E faz muito sentido, se nos amamos e sabemos lidar com nossas imperfeições viveremos bem.

"Para embelezar minha vida, eu que tenho duas pernas, como as uso? Me levam sempre aos melhores lugares? Eu que tenho olhos para ver, sei observar o edificante e construtivo? Tenho um olhar de simpatia para os demais? Eu que posso ouvir e falar, que coisas escuto e que palavras pronuncio? Abro minha boca só para dizer o correto e amável? "

Como o ser humano é um ser sociável, as nossas relações influenciam muito no nosso bem estar. Há capítulos específicos sobre a harmonia no lar, a convivência com o próximo. "Se o outro não procede corretamente, e não gostamos do seu proceder, porquê vamos ser tão torpes como ele? Uma maldade não se anula com outra maldade."

O sofrimento neste mundo é inevitável. Como ser felizes em meio a problemas? Há fórmulas mágicas? Você pode encontrar respostas a essas perguntas através desta obra. O autor aborda também como os maus hábitos podem destruir nosso prazer pela vida. E se falharmos em tudo? Como seremos felizes? Para finalizar, o autor ressalta como  a associação com o Divino pode nos completar.

Enrique Chaij é escritor e orador dos programas "Una luz en el camino" e "Encuentro con la vida".


Título: Apesar de todo... que linda es la vida
Autor: Enrique Chaij
Páginas: 192
Editora: Associassión Casa Editora Sudamérica

Leia Mais
Compartilhe:

11 setembro, 2018

Resenha do Livro - O Sofrimento de uma vida sem sentido



Sobrevivente de Theresienstadt, Auschwitz, Kaufering e Türkheim, Viktor Frankl tem propriedade para falar sobre dor. Além de escritor, Viktor foi professor de neurologia e psiquiatria na Universidade de Viena.

Nesta obra, com uma linguagem profunda e muitas vezes rebuscada, ele fala sobre caminhos que o indivíduo pode trilhar para encontrar razão em seu viver. Primeiro há um retrospecto sobre as teorias de Freud, Adler e Jung. Essa parte do livro foi difícil para entender, porque há termos bem específicos da psicologia e psiquiatria. Logo após essa contextualização, Viktor foca na Logoterapia, abordagem que desenvolveu cujo objetivo principal é o sentido da existência.

"O homem é, em virtude de sua autotranscedência, um ser em busca de sentido. No fundo, é dominado por uma vontade de sentido."

Apesar de alguns capítulos exigirem muita atenção ou deixar o leigo confuso, não é uma leitura restrita ao público da área em questão. Há lições práticas e reflexões para o indivíduo comum encontrar sentido na própria existência.

A ideia base de Viktor Frankl é que sempre existe um sentido a ser realizado na vida. "Com efeito a existência humana aponta sempre para além de si mesma, aponta sempre para um sentido." A frustração existencial, o sentido do sofrimento, a logoterapia e a religião são alguns dos assuntos destrinchados e exemplificados.

Se você quer saber mais sobre a Logoterapia, assista essa entrevista com o psicólogo Itamar  Padrão: https://youtu.be/LyChAF-ykFg


Título: O sofrimento de uma vida sem sentido
Autor: Viktor E. Frankl
Páginas: 125
Editora: É Realizações Editora

Leia Mais
Compartilhe:

04 setembro, 2018

7 Lições do livro – O que vi, aprendi e recomendo para a vida





Aprender através da leitura é uma das coisas que mais me motivam a ler sempre mais. Pessoas de sucesso geralmente não são acessíveis a todos. Algumas podem dar palestras, ou cursos, o que também nem sempre está ao alcance de todos. O livro é democrático e atinge todos os públicos. Pessoas que talvez você nunca teria a oportunidade de conversar, através de um livro você pode ter acesso às suas ideias e ainda com liberdade de releituras.

Orlando Marciano é um dos líderes, que eu gostaria de conhecer e aprender um pouco com toda sua experiência e sabedoria.  Autor do livro “O que vi, aprendi e recomendo para a vida”, Orlando conta a sua trajetória de vida desde os serviços na fazenda até a presidência da Coopercica, cooperativa de consumo no interior do estado de São Paulo.

Após concluir essa ótima leitura, escolhi as 7 lições para compartilhar com vocês. A resenha completa do livro você encontra aqui.

1.           O caráter é formado em casa


Creio que você já ouviu isso alguma vez, apesar de nem sempre darmos a devida atenção. Muitos pais acabam prejudicando o futuro de seus filhos simplesmente por não reforçarem os valores morais, nem corrigirem quando os mesmos fazem coisas erradas.

A educação no lar é a mais importante! Todos os pais e filhos devem ter essa consciência. Os pais devem educar e os filhos devem ser gratos pela educação recebida, e considerar a palavra paterna.

2.           Honestidade é Obrigação


Pode parecer obvio, mas muitas vezes perdemos a oportunidade de sermos honestos por conta de alguns centavos a mais no troco. A honestidade deve existir em todos os níveis, meios e relacionamentos pessoais.

O autor reforça a importância da honestidade e como devemos nos manter firmes mesmo em um país onde a corrupção parece prevalecer.

“Ande conforme o que é reto e nunca se conforme porque a maioria decidiu assim”

3.           Enfrentar o que é errado


Essa é uma das lições que vou levar para a  minha vida! Muitas vezes preferi ficar calado para não gerar confusão e não enfrentei o que era errado. O livro fala bastante do ambiente profissional, mas essa lição podemos aplicar para outros aspectos também.

Combater o que é errado não é tarefa fácil. Quem disse que devemos fazer somente o fácil? É importante ter em mente que é preciso fazer o que é certo sempre, e não o que é fácil.

“Toda conquista definitiva passa pela rodovia das dificuldades, pelo trânsito do contratempo e pela estrada vicinal do enfrentamento.”

4.           Reconhecer quem nos ajuda


Dificilmente vamos chegar ao topo sem a colaboração de outras pessoas. Precisamos ter a humildade para reconhecer aqueles que contribuem para o nosso sucesso. Sempre que possível, colaborar também com o crescimento dos outros.

Em todos os ambientes existem pessoas dispostas a ajudar, esteja atento a essas pessoas.

5.           “Puxa-saco” é diferente de formador de opinião


Pode ser que alguém esteja te ajudando apenas para “puxar o saco”. Essas pessoas não querem o seu bem, somente buscam benefícios próprios. Devemos evitar esse tipo de companhia, pois na hora que você mais precisa, pode ter certeza que elas serão as primeiras a se afastarem.

No ambiente empresarial, devemos ser formadores de opinião, aquelas pessoas que falam a verdade, combate o que é errado e age de maneira correta para que os outros vejam e se inspirem.

6.           Enfrentamento político


Nem todos nós conseguimos enfrentar um político, mas temos o poder de elegê-los. O autor descreve quando teve que enfrentar políticos e como isso fez a diferença para a sua comunidade.

Não devemos ficar de braços cruzados apenas assistindo, devemos agir, cobrar os nossos direitos, reivindicar melhores condições e selecionar da melhor maneira os candidatos que votaremos.

7.           Planos para o futuro


Não adianta se acomodar, isso não faz bem pra ninguém. Planejar o futuro, nos motiva a mover, crescer, aprender e sair da zona de conforto.

Ver pessoas que já realizaram muito na vida e mantêm seus sonhos vivos, me motiva a lutar pelos meus.


Esse foi um dos melhores livros lidos durante esse ano. O livro apresenta várias outras lições válidas para a vida e que são transformadoras. Mais informações sobre o livro você encontra no site da Editora Literare Books

Leia Mais
Compartilhe:

03 setembro, 2018

Clube de Leitura 2019 - CPB


Como você já deve saber, todos os anos a editora Casa Publicadora Brasileira seleciona e publica livros para as diferentes faixas etárias, compondo assim o seu Clube de Leitura. Para o ano de 2019, já temos os títulos dos livros. Confira agora qual é o indicado para sua idade e coloque em sua lista de leitura para o próximo ano!

Crianças e Aventureiros (6 – 9 anos)


De onde vim? Para onde vou?

Autor: Orlando Palmieri
Páginas:  46



Duas perguntas que podem dar sentido à vida
Já pensou algumas vezes nessas perguntas?
Leia este livro e descubra respostas que o ajudarão a encontrar um sentido especial para a sua vida!




Juvenis e Desbavadores (10 – 15 anos)


Expedição Galápagos

Autor: Michelson Borges
Páginas: 64



O que pode acontecer quando um adolescente viaja com o pai até o arquipélago de Galápagos, conhece o "amor de sua vida", faz amizade com um leão-marinho e visita lugares incríveis como a borda de um vulcão, uma ilha repleta de aves exóticas, uma caverna de lava solidificada e mergulha com tartarugas e tubarões? É só abrir este livro, começar a ler e você vai descobrir!


Jovens


Prazer em Conhecer Ellen White

Autor: George R. Knight
Páginas: 152

Quem é Ellen White? George Knight, professor de História da Igreja no Seminário Teológico Adventista do Sétimo Dia, responde essa pergunta no livro. Ele ajuda o leitor a compreender e a apreciar a vida e o grande papel da mensageira de Deus para a Igreja Adventista do Sétimo Dia.

Universitários


No Princípio

Autor:
Páginas: 320

Este livro tem o objetivo de apresentar o que a Bíblia revela sobre a criação divina e o que a ciência de fato tem a dizer sobre o dilema das origens.

Livro do Ano


Conselhos sobre Mordomia

Autora: Ellen G. White
Páginas: 368

Publicado originalmente em 1940
O estudo cuidadoso dos princípios de mordomia, ajudará todos os que estudarem e praticarem estes princípios, a alcançar uma experiência cristã mais rica e ampla nas coisas de Deus.
Na vida e no serviço cristão, a questão da mordomia ocupa um lugar primordial. Todo crente está profunda e continuamente ligado a ela. Nosso reconhecimento da soberania de Deus, de que Ele é dono de todas as coisas e da concessão de Sua graça à nós, depende da própria compreensão dos princípios de mordomia.
Embora os princípios de mordomia digam respeito às coisas materiais, são eles, acima de tudo, de caráter espiritual. O serviço de Cristo é uma realidade e o Senhor requer de nós certas coisas, para fazer por nós, outras.


Leia Mais
Compartilhe:

29 agosto, 2018

Resenha do Livro - King, o pregador que não conseguia pregar




O livro conta a história de George King, um cristão canadense que tinha um objetivo de vida: se tornar um pregador. Ela já havia ouvido grandes pregadores e isso o motivava a querer pregar e levar a mensagem do advento para as outras pessoas.

O relato é narrado por Otho Godsmark, um garoto de 11 anos que vivia na fazendo com seus pais. Otho ficou super empolgado quando ficou sabendo que haveria uma nova pessoa morando com eles e acompanhou de perto toda a saga de King para alcançar sua meta.

King tinha vontade e persistência e juntamente com Otho ele treinava diariamente para conseguir pregar, mas mesmo com tanto esforço, sua primeira experiência foi catastrófica. As anotações caíram do púlpito e ficaram fora de ordem e seu quadro informativo rasgou na hora de desdobrar. Tudo isso foi um balde de água fria nos sonhos de King. Porém ele não estava sozinho e a família Godsmark estava ali para ajudar.

Seguindo o conselho sábio da Sra. Godsmark, King saiu para pregar para as de casa em casa, de um jeito que fosse capaz de conversar de maneira calma, sem risco de se atrapalhar e de forma mais pessoal possível. O ministério de King se expandiu e até hoje existem pessoas realizando esse trabalho de casa em casa, levando esperança aos mais diferentes lares.

Esse livro é voltado para o publico juvenil, mas serve para todos aqueles que querem se inspirar em uma história verdadeira de superação. Dificuldades sempre existirão, mas com força de vontade, persistência e determinação, alcançaremos todos os nossos objetivos.

Boa leitura

Título: King, o pregador que não conseguia pregar
Autor: Kimber J. Lantry
Páginas: 80

Editora: Casa Publicadora Brasileira 

Leia Mais
Compartilhe:

27 agosto, 2018

Resenha do Livro - Educando para a eternidade


Por: Me. Elenciria Oliveira
Profª. Escola Adventista de Montes Claros
Profª. Orientadora UNASP Campus Virtual

Livro maravilhoso do George Knight indispensável aos professores da educação adventista e aos professores adventistas que lecionam em escolas seculares. Traz conceitos fortes, ideias consistentes e claras da introdução a conclusão do livro.

Eu já conhecia a forma única do Knight escrever através do livro “Mitos na Educação Adventista”, e neste livro Educando para a Eternidade não é diferente. O autor chama a atenção dos educadores para a responsabilidade que estes têm em suas mãos. Se apresenta de uma forma apelativa com o intuito de alertar os educadores/leitores, fazendo-os ter ciência da iminente catástrofe que poderá advir se não buscarmos ser diferentes e fazer diferente em nossa prática na sala de aula.

A base do livro está na obvia afirmação: “se você não sabe para onde está indo, nunca chegará ao destino certo”. Partindo dessa afirmação, Knight traz fundamento teórico para as ideias que defende e mostra com evidência que não faremos a diferença enquanto Educação Adventista se não nos preocuparmos em conhecer a filosofia da Educação Adventista e termos convicção da missão do movimento da Igreja Adventista do Sétimo dia.

Diversos questionamentos são feitos no decorrer dos capítulos, mas o questionamento central do livro é: “Qual é a contribuição especial da rede adventista à educação cristã? O que torna a educação adventista singular?” A educação cristã em si possui a função de levar os jovens e crianças a Jesus para que experimentem um relacionamento com o Mestre e assim tenham as vidas transformadas e a certeza da salvação. Mas como diferenciar a educação adventista da educação cristã (Batista, Presbiteriana, Metodista, Católica e etc...)?

O leitor se vê desafiado frente a esse desafio, pois, se a educação adventista apenas repetir o que todas as escolas cristãs pregam e ensinam ela pode ser considerada desnecessária. Não existimos apenas para seguir uma linha. “A educação adventista só é importante se for verdadeiramente adventista.” Lendo o livro vocês descobrirão/aprenderão a resposta.

Nunca deveríamos nos esquecer do que nos guiou no passado e que precisa ser o nosso guia hoje e também nos últimos dias. Educador adventista você sabe para onde está indo? Qual o seu destino?

Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.Apocalipse 14:12

Ótima leitura!!

Título: Educando para a Eternidade: Uma filosofia adventista de educação
Autor: George Knight
Editora: Casa Publicadora Brasileira
Páginas: 159

Leia Mais
Compartilhe:

23 agosto, 2018

5 Manias Literárias - TAG #01



Fui escolhido pela Daniella do IG @letra_plena para compartilhar 5 manias literárias. Para conferir as manias dela, clique aqui.
Agora vamos as minhas 5 manias literárias:

1 – Ler mais de um livro ao mesmo tempo

Gosto de fazer várias leituras ao mesmo tempo por alguns motivos: me ajuda na concentração, pois leio um pouco de cada livro, variando nos temas. Ajuda a exercitar a memória e por fim, sinto que leio mais em menos tempo.

2 – Ler o Livro de capa a capa

E quando eu falo isso, é de capa a capa mesmo. Leio aquelas orelhas da capa, a ficha bibliográfica, o índice, o prefácio, a introdução, os agradecimentos, o apêndice, a bibliografia e até o e-mail para mandar as impressões sobre o livro para o autor. Essa mania fez com que muitas vezes eu concluísse um livro mesmo tendo me desinteressado nele no meio da leitura.

3 – Estipular uma data para acabar

Toda vez que eu começo um livro, vejo a quantidade de páginas e já programo uma data para concluir a leitura. Faço isso para alcançar a minha meta de leitura anual, manter meu cronograma diário e evitar a procrastinação. Para controle das minhas leituras, utilizo um app chamado Minha Leitura. É simples, mas muito útil. Disponível no Google Play.

4 – Marcar os livros com lápis de cor combinando com a capa do livro

Aprendi como é bom marcar os livros e venho fazendo isso há alguns anos. Para escolher a cor que vou sublinhar, sempre busco uma que seja próxima com as cores da capa. Se o livro tem uma paisagem e um céu, provavelmente será azul. Escolho laranja para capas com essa cor predominante, assim para roxo, rosa e demais cores. Quando a capa é branca, vejo a cor da letra ou algum detalhe de outra cor para fazer a minha escolha. Uso essa técnica para livros de capa preta também.

5 – Visitar a livraria para conhecer os lançamentos

Se eu passar por uma livraria vou entrar com certeza. Gosto do ambiente e mais ainda de olhar os livros e conhecer as novidades. Até mesmo quando estou em conexão no aeroporto, aproveito os minutinhos para olhar as prateleiras e ver algum título novo. Muitas vezes eu não compro nada, porém seria pior não ter ido.

Essas foram as minhas 5 manias literárias. E você, tem alguma mania quando o assunto é livros? Deixe aqui nos comentários e nos acompanhe no Instagram também.

Boas leituras

Leia Mais
Compartilhe:
 

Siga-nos no Instagram